Plantas para apartamento. Quais usar? - 1ª parte

03/05/2019

Veja algumas das melhores plantas para serem usadas em seu lar, seja em jardins verticais, vasos ou jarras de decoração. Reunimos espécies que se dão super bem em áreas internas e que são capazes de mudar o astral de qualquer ambiente. Algumas aguentam até ar condicionado!


Costela de Adão

Essa espécie virou uma febre nas redes sociais e é fácil entender o porquê. Essa planta tem uma folhagem muito exuberante, de linhas orgânicas bem características, cheias de recortes. O melhor é que ela se adapta muito bem a ambientes internos. Apesar de produzir frutos comestíveis, as folhas são tóxicas. Nunca deixe sua planta ao alcance de crianças e/ou animais domésticos, porque ela pode provocar reações alérgicas graves se ingerida. 

A Costela de Adão precisa ser regada diariamente até que a muda pegue e comece a se desenvolver. Ela não exige muitos cuidados e é ideal para ser cultivada dentro de casa, já que não precisa de luz solar direta. Pelo contrário, a planta dever ser cultivada a meia sombra ou sombra recebendo apenas indiretamente os raios solares.

Depois de desenvolvida, a rega da Costela de Adão deve ser frequente, sempre que a terra estiver seca, especialmente no verão. Já no inverno, as regas podem ser mais espaçadas. A adubação deve ser feita preferencialmente no inicio da primavera com adubo liquido.

Os meses de primavera também são os mais indicados para realizar as podas na Costela de Adão. A recomendação é cortar as hastes e galhos que estejam muito grandes.

Lírio da Paz

As folhas brancas dessa planta não podem receber luz direta do sol ou são queimadas. Dessa forma, ambientes com sombra são seus melhores amigos. O solo deve ficar úmido - média de 3 irrigações semanais. Com o passar do tempo, sua folhagem se esverdeia. Cuidado: essa é uma planta tóxica, então mantenha crianças e animais longe dela.

Espada de São Jorge

Originária da África, a espada de São Jorge, cujo nome científico é Sansevieria trifasciata e que também é chamada de espada de Ogum, é considerada uma planta protetora, como a arruda e a aroeira, por exemplo. 

A espada de São Jorge é uma planta bastante resistente e que sobrevive em áreas externas com sol e também em áreas internas com menos incidência de luz e vento. Por isso, para quem busca saber como cuidar de uma espada de São Jorge, é legal ter a noção de que são poucos os cuidados necessários. 

Basicamente, para saber como cuidar de uma espada de São Jorge, basta regar de uma a duas vezes por semana. E, se quiser fazer um arranjo ou combinação bem bonita, pode unir a sua planta espada de São Jorge com cactos e suculentas, que também não exigem tanta atenção. 

Antúrio

Conhecida como um curinga para lugares pouco iluminados, o antúrio é mais usado em vasos. Sua cor destaca o local em que é posto, mas não deve ficar em ambientes escuros ou seu crescimento é prejudicado A irrigação pede muita umidade, então deve ser feita 3 ou 4 vezes por semana. 

Pau D'Água 

Sem precisar ficar exposta diretamente ao sol, a Pau D'Água carrega rusticidade para o ambiente em que está inserida. Ela também pede uma irrigação mais regular, de duas/três vezes por semana. Pulverizar as folhas com água garante um crescimento mais saudável. 

Clorofito

O clorofito é uma planta de fácil cultivo, e pouco exigente em manutenção, sendo bastante comum seu plantio em cestas suspensas, vasos e jardineiras, onde seu aspecto pendente é valorizado. Adapta-se muito bem a interiores, tolerando inclusive o ar-condicionado e eventuais "esquecimentos". Também pode ser aproveitada em canteiros, bordaduras ou como forração, mas não suporta pisoteio. Devem ser cultivadas sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, leve e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. Suas raízes grossas, com boa reserva de nutrientes e água, a tornam tolerantes a pequenos períodos de seca. Tolera também o frio subtropical ou mediterrâneo. Multiplica-se por divisão das touceiras ou pela separação das mudas formadas nas inflorescências.

Dracena Janet Craig

Esta é uma planta que adora a sombra e de acordo com a filosofia do Feng Shui, esta palmeira é capaz de transmitir aos seus mestres a força de vontade e caráter, e também trazer harmonia para a casa. Os cientistas provaram que é melhor do que outras plantas para purificar o ar de impurezas nocivas. Deve ser regada duas vezes por semana.

Jibóia (Epipremnum Aureum)

É uma planta trepadeira, cuja origem não poderia ser mais tropical: vem da Polinésia Francesa, um arquipélago situado no oceano Pacífico. Por isso, ela se deu super bem no nosso clima brasileiro e hoje, é muito difícil que alguém não conheça essa planta, mesmo não sabendo como ela se chama.

Mas cuidado! Assim como a Costela de Adão, a Jibóia também é tóxica e deve ser mantida longe de crianças e animais domésticos.

Ela é ideal pra apartamentos, porque é uma planta de meia luz, ou seja, não precisa receber sol diretamente, só precisa que o ambiente tenha bastante luz natural. Se dá bem na sombra também, mas suas folhas vão apresentar um verde mais escuro e talvez ela não cresça tanto. 

O ideal é que você regue mais no verão e menos no inverno, quando as plantinhas entram numa espécie de hibernação. No verão, pode regar 3 vezes por semana, se estiver muito quente; no inverno, de 1 a 2 vezes por semana. 

Palmeira Bambu

Você também pode ter uma palmeira bambu dentro de casa, pois, por ser versátil, ela pode ser usada em pequenos vasos e precisa ser bem exposta ao sol. É uma planta que tem crescimento rápido e é fácil de modelar, podendo formar pequenos grupos de palmeiras ou pode deixá-la crescer em um espaço aberto, podendo chegar a 10 metros de altura.

Para garantir a saúde da planta, é preciso borrifar as folhas nos períodos muito quentes e quanto à rega, ela deve estar sempre úmida tanto no verão quanto no inverno.