Plantas para apartamento. Quais usar? - 2ª parte

04/05/2019

Veja algumas das melhores plantas para serem usadas em seu lar, seja em jardins verticais, vasos ou jarras de decoração. Reunimos espécies que se dão super bem em áreas internas e que são capazes de mudar o astral de qualquer ambiente. Algumas aguentam até ar condicionado!


Ficus (Ficus benjamina)

O ficus é uma árvore muito popular, utilizada principalmente na decoração de ambientes internos. 

Deve ser cultivado a pleno sol ou meia-sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. É bastante rústico, mas quando plantado em vasos, em interiores (residências, escritórios), não aprecia mudanças de lugar, correntes de ar frio, encharcamentos e ar-condicionado. Quando estressado por este fatores é comum que suas folhas amarelem e caiam, mas pode rebrotar com vigor depois de resolvido o problema. Plantas envasadas devem ser adubadas mensalmente na primavera e verão, e transplantadas para um vaso maior uma vez ao ano. Multiplicam-se por estacas lenhosas e sementes.

Aglaonema Crispum

Aglaonema é um gênero com cerca de 50 espécies e diversas variedades, muito cultivadas em ambientes internos. As aglaonemas apresentam textura herbácea e são pequenas, com altura variando entre 20 a 150 cm. É perfeita para decoração de interiores, em escritórios, shoppings, salas de estar. No entanto necessitam de boa ventilação e não suportam ambientes secos ou com ar condicionado. São rústicas, e não necessitam de cuidados muito especiais, sendo apropriadas para jardineiros iniciantes. Podem ser plantadas em vasos, jardineiras, jardins de inverno, ou até mesmo em canteiros no jardim, formando belos maciços ou bordaduras.

Hera (Hedera helix)

A hera-inglesa ou simplesmente hera é uma planta multifuncional. Sua beleza delicada e clássica a tornam ideal para compor com flores em floreiras ou cestas suspensas. Também é muito utilizada como forração sob copas de árvores, em canteiros, ou como revestimento. Além disso é um trepadeira interessante em diversos tipos de suporte, como treliças, e até mesmo árvores. Sua capacidade de fixação é ideal para forrar esculturas feitas de arame e outros substratos, dando forma, volume e textura às mesmas. As diversas variedades estão amplamente disponíveis para se adaptar ao gosto de cada paisagista e jardineiro.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável e enriquecido com matéria orgânica, irrigado periodicamente. A hera aprecia a umidade e o frio subtropical, e não suporta solos encharcados. É tolerante a geadas e podas para o controle do crescimento. 

Gérberas (Gerbera jamesonii)

A Gerbera é uma herbácea perene, de 30 a 40 cm de altura, de florescimento muito vistoso, que ocorre principalmente nos meses da primavera e verão. A Gerbera apresenta um comportamento característico conhecido como heliotropismo, isto é, segue o sol.

Aprecia o clima frio, precisa de temperatura média de 13-24°C. Cultivada meia sombra, não suporta o sol direto nas horas mais quente do dia. O solo deve ser fértil, arenoso, rico em matéria orgânica, bem drenado e mantido úmido, mas não encharcado. Diminuir as regas no inverno. Regar a planta apenas no solo, evitando molhar folhas e flores. É muito importante manter a Gerbera em local com iluminação e bastante ventilação. Isso é essencial para manter a planta saudável.

Crisântemo

O Crisântemo é uma planta tradicional asiática. O nome Crisântemo tem origem grega e significa "flor de ouro"Seu porte é herbáceo e geralmente de 1 metro. O Crisântemo dá flores o ano inteiro. 

Cuidados e Manutenção: 30 dias após a plantação, realizar adubação; no calor, regar 2 à 3 vezes por semana, sem encharcar para evitar apodrecer as raízes e as hastes e remover as flores velhas para prolongar a floração e fortalecer a planta.

 

 

Aloe Vera

A Aloé Vera é uma planta com excelentes propriedades benéficas a nível digestivo, dermatológico, culinário e cosmético. Em casa é utilizada como uma planta decorativa mas também é eficaz contra a poluição, nomeadamente contra o monóxido de carbono, o benzeno e o tolueno. Existem pelo menos 200 a 300 espécies diferentes de plantas de Aloé Vera. De todas elas, apenas cinco demonstraram ter propriedades terapêuticas significativas: o aloe barbadensis miller, o aloe perryi baker, o aloe ferox, o aloe arborescens e o aloe saponaria

O solo deve ser bem drenado para que a planta não morra. A Aloé Vera é cultivada em muitas regiões do mundo, e normalmente é cultivada em vasos e arranjos.

Samambaia

Na natureza, as samambaias são geralmente encontradas próximas de riachos e cachoeiras. Sabe por quê? Essa planta adora ambientes úmidos e precisa ser regada sempre que a terra do vaso estiver seca. Outra coisa que você deve fazer pela sua samambaia é borrifar água em suas folhas, especialmente em dias muito secos. Ela retribui o carinho mantendo-se sempre verde e cheia de vida.

Crie um relacionamento íntimo com a sua samambaia. Ela exigirá isso de você. Além das regas frequentes, é necessário adubar uma vez por mês a samambaia. Existem à venda adubos prontos desenvolvidos especialmente para esse tipo de planta. Porém, você mesmo pode fazer o adubo misturando partes iguais de casca de ovo moída, farinha de osso e torta de mamona. Espalhe uma colher dessa mistura no vaso. Vale ressaltar que a adubação só deve ser feita após seis meses do plantio.

Outra informação importante: as samambaias não gostam de luz solar direta. Por isso, deixe-a em um lugar da casa iluminado, mas que não bata sol. Os raios solares podem queimar a planta. Proteja-a do frio também, a samambaia é uma planta tropical acostumada a temperaturas mais elevadas.

Habitue-se a observar se a planta está com galhos ou folhas secas e doentes. Caso perceba um amarelado ou as pontas das folhas queimadas, retire-as.

Dracena Marginata

É uma planta trepadeira, cuja origem não poderia Esta dracena é excelente para interiores, e deve ser colocada em ambientes com boa iluminação, além de vasos grandes, que permitam seu desenvolvimento saudável. Seus ramos podem ser tutorados para que fiquem retorcidos, de efeito mais escultural. A manutenção restringe-se à remoção das folhas baixas e velhas, e adubações anuais, além das regas semanais. No paisagismo, destaca-se plantada isolada ou em grupos, em jardins contemporâneos, tropicais e de pedras. O crescimento da planta é de lento a moderado.

Devem ser cultivadas sob sol pleno ou sombra parcial, em solo fértil, leve e enriquecido com matéria orgânica, com irrigações periódicas. Planta tipicamente tropical, não tolera o frio ou ventos fortes. Multiplica-se facilmente por estaquia.